Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed  |   | 

Facebook Twitter Google+ email email

Anunciar Empresa
Após 40 anos, bairro de Ribas será asfaltado por meio da parceria com o Governo

Após 40 anos, bairro de Ribas será asfaltado por meio da parceria com o Governo

Bairro São Sebastião, um dos bairros mais antigos de Ribas do Rio Pardo, irá receber pavimentação asfáltica por meio da parceria
Tradicional ornamentação da festa de Corpus Christi em Ribas do Rio Pardo reuniu mais de 500 pessoas

Tradicional ornamentação da festa de Corpus Christi em Ribas do Rio Pardo reuniu mais de 500 pessoas

Tradicional ornamentação da festa de Corpus Christi em Ribas do Rio Pardo reuniu mais de 500 pessoas Tapete foi montado na Av. Nelson Lirio e
Mulher joga bebê do décimo andar de prédio em chamas e homem consegue pegar

Mulher joga bebê do décimo andar de prédio em chamas e homem consegue pegar

Um incêndio, que se estendeu por toda a madrugada, destruiu um prédio residencial de 24 andares em Londres, nesta quarta-feira
Incêndio atinge prédio de 24 andares e deixa 6 mortos em Londres

Incêndio atinge prédio de 24 andares e deixa 6 mortos em Londres

74 ficaram pessoas ficaram feridas no incêndio que atingiu a torre Grenfell, no oeste da cidade. Bombeiros descartaram risco de
Ribas do Rio Pardo: Flores, uma ótima opção de presente, confira

Ribas do Rio Pardo: Flores, uma ótima opção de presente, confira

Dia dos namorados merecem flores Para presentear sua namorada a melhor opção é oferecer um presente que com certeza vai agrada-la
Domingo amanhece gelado com geada em várias partes da cidade

Domingo amanhece gelado com geada em várias partes da cidade

Quando a temperatura do ar de uma região cai abaixo do ponto de congelamento da água (0° C), pode ocorrer
Centenas de pessoas amanhecem na fila para receber o FGTS em Ribas do Rio Pardo

Centenas de pessoas amanhecem na fila para receber o FGTS em Ribas do Rio Pardo

Saques do FGTS começaram hoje para nascidos em setembro, outubro e novembro Começa neste sábado (10),  a quarta fase de saques
Conheça em Ribas do Rio Pardo a Boutique Rosa Biju

Conheça em Ribas do Rio Pardo a Boutique Rosa Biju

Dá-se o nome de bijuterias as mercadorias que são produzidas com metais e pedras preciosas de baixo valor econômico que

GLOBO COSPE TEMER E O TRANSFORMA EM ANJO CAÍDO


TEMEROSO
Esta postagem foi publicada em 20 de maio de 2017 Brasil, Notícias Barra Lateral, Notícias em Destaques Slide Topo, Política.

Depois de articular o golpe de 2016, que instalou Michel Temer no poder, a Globo decidiu rifá-lo com requintes de crueldade; capa da revista Época deste fim de semana, que pertence à família Marinho, utiliza recursos gráficos que tornam a imagem de seu antigo pupilo semelhante à de um personagem satânico; em buscas no Google, Temer costuma ser sempre associado à prática do satanismo; em editorial publicado em todos os seus veículos, a Globo avisou que Temer terá que sair por bem ou por mal; “A renúncia é uma decisão unilateral do presidente. Se desejar, não o que é melhor para si, mas para o país, esta acabará sendo a decisão que Michel Temer tomará. É o que os cidadãos de bem esperam dele. Se não o fizer, arrastará o Brasil a uma crise política ainda mais profunda que, ninguém se engane, chegará, contudo, ao mesmo resultado, seja pelo impeachment, seja por denúncia acolhida pelo Supremo Tribunal Federal”, diz o texto

Depois de articular o golpe de 2016, que instalou Michel Temer no poder, a Globo decidiu rifá-lo com requintes de crueldade.

A capa da revista Época deste fim de semana, que pertence à família Marinho, utiliza recursos gráficos que tornam a imagem de seu antigo pupilo semelhante à de um personagem satânico.

Em buscas no Google, Temer costuma ser sempre associado à prática do satanismo.

Em editorial publicado em todos os seus veículos, a Globo avisou que Temer terá que sair por bem ou por mal. “A renúncia é uma decisão unilateral do presidente. Se desejar, não o que é melhor para si, mas para o país, esta acabará sendo a decisão que Michel Temer tomará. É o que os cidadãos de bem esperam dele. Se não o fizer, arrastará o Brasil a uma crise política ainda mais profunda que, ninguém se engane, chegará, contudo, ao mesmo resultado, seja pelo impeachment, seja por denúncia acolhida pelo Supremo Tribunal Federal”, diz o texto.

Confira abaixo:

Editorial: A renúncia do presidente

Um presidente da República aceita receber a visita de um megaempresário alvo de cinco operações da Policia Federal que apuram o pagamento de milhões em propinas entregues a autoridades públicas, inclusive a aliados do próprio presidente. O encontro não é às claras, no Palácio do Planalto, com agenda pública. Ele se dá quase às onze horas da noite na residência do presidente, de forma clandestina. Ao sair, o empresário combina novos encontros do tipo, e se vangloria do esquema que deu certo: “Fui chegando, eles abriram. Nem perguntaram o meu nome”. A simples decisão de recebê-lo já guardaria boa dose de escândalo. Mas houve mais, muito mais.

Em diálogo que revela intimidade entre os dois, o empresário quer saber como anda a relação do presidente com um ex-deputado, ex-aliado do presidente, preso há meses, acusado de se deixar corromper por milhões. Este ex-deputado, em outro inquérito, é acusado inclusive de receber propina do empresário para facilitar a vida de suas empresas no FI-FGTS da Caixa Econômica Federal. O presidente se mostra amuado, e lembra que o ex-deputado tentou fustigá-lo, ao torná-lo testemunha de defesa com perguntas que o próprio juiz vetou por acreditar que elas tinham por objetivo intimidá-lo.

Ao ouvir esse relato do presidente, o empresário procura tranquilizá-lo mostrando os préstimos que fez. Diz, abertamente, que “zerou” as “pendências” com o ex-deputado, que tinha ido “firme” contra ele na cobrança. E que ao zerar as pendências, tirou-o “da frente”. Mais tarde um pouco, em outro trecho, diz que conseguiu “ficar de bem” com ele. Como o presidente reage? Com um incentivo: “Tem que manter isso, viu?”

Não é preciso grande esforço para entender o significado dessa sequência de diálogos. Afinal, que pendências, senão o pagamento de propinas ainda não pagas, pode ter o empresário com um ex-deputado preso por corrupção? Que objetivo terá tido o empresário quando afirmou que, zerando as pendências, conseguiu ficar de bem com ele, senão tranquilizar o presidente quanto ao fato de que, com aquelas providências, conseguiu mantê-lo quieto? E, por fim, que significado pode ter o incentivo do presidente (“tem que manter isso, viu”), senão uma advertência para que o empresário continue com as pendências zeradas, tirando o ex-deputado da frente e se mantendo bem com ele?

Esses diálogos falam por si e bastariam para fazer ruir a imagem de integridade moral que o presidente tem orgulho de cultivar. Mas houve mais. O empresário relata as suas agruras com a Justiça, e, abertamente, narra ao presidente alguns êxitos que suas práticas de corrupção lhe permitiram ter. Conta que tem em mãos dois juízes, que lhe facilitam a vida, e um procurador, que lhe repassa informações. Um escândalo. O que faz o presidente? Expulsa o empresário de sua casa e o denuncia as autoridades? Não. Exclama, satisfeito: “Ótimo, ótimo”.

Não é tudo, porém. Em menos de 40 minutos de conversa, o empresário ainda encontra tempo para se queixar de um ex-funcionário seu, atual ministro da Fazenda. Diz, com desfaçatez, que tem enfrentado resistência no ministro da Fazenda para conseguir a troca dos mais altos funcionários do governo na área econômica: o secretário da Receita Federal, a presidente do BNDES, o presidente do Cade e o presidente da CVM. Pede, então, que seja autorizado a usar o nome do presidente quando for novamente ao ministro da Fazenda com tais pleitos. O que faz o presidente? Manda-o embora, indignado? Não, de forma alguma. O presidente autoriza: “Pode fazer”.

Este jornal apoiou desde o primeiro instante o projeto reformista do presidente Michel Temer. Acreditou e acredita que, mais do que dele, o projeto é dos brasileiros, porque somente ele fará o Brasil encontrar o caminho do crescimento, fundamental para o bem estar de todos os brasileiros. As reformas são essenciais para conduzir o país para a estabilidade política, para a paz social e para o normal funcionamento de nossas instituições. Tal projeto fará o país chegar a 2018 maduro para fazer a escolha do futuro presidente do país num ambiente de normalidade política e econômica.

Mas a crença nesse projeto não pode levar ao autoengano, à cegueira, a virar as costas para a verdade. Não pode levar ao desrespeito a princípios morais e éticos. Esses diálogos expõem, com clareza cristalina, o significado do encontro clandestino do presidente Michel Temer com o empresário Joesley Batista. Ao abrir as portas de sua casa ao empresário, o presidente abriu também as portas para a sua derrocada. E tornou verossímeis as delações da Odebrecht, divulgadas recentemente, e as de Joesley, que vieram agora a público.

Nenhum cidadão, cônscio das obrigações da cidadania, pode deixar de reconhecer que o presidente perdeu as condições morais, éticas, políticas e administrativas para continuar governando o Brasil. Há os que pensam que o fim desse governo provocará, mais uma vez, o atraso da tão esperada estabilidade, do tão almejado crescimento econômico, da tão sonhada paz social. Mas é justamente o contrário. A realidade não é aquilo que sonhamos, mas aquilo que vivemos. Fingir que o escândalo não passa de uma inocente conversa entre amigos, iludir-se achando que é melhor tapar o nariz e ver as reformas logo aprovadas, tomar o caminho hipócrita de que nada tão fora da rotina aconteceu não é uma opção. Fazer isso, além de contribuir para a perpetuação de práticas que têm sido a desgraça do nosso país, não apressará o projeto de reformas de que o Brasil necessita desesperadamente. Será, isso sim, a razão para que ele seja mais uma vez postergado. Só um governo com condições morais e éticas pode levá-lo adiante. Quanto mais rapidamente esse novo governo estiver instalado, de acordo com o que determina a Constituição, tanto melhor.

A renúncia é uma decisão unilateral do presidente. Se desejar, não o que é melhor para si, mas para o país, esta acabará sendo a decisão que Michel Temer tomará. É o que os cidadãos de bem esperam dele. Se não o fizer, arrastará o Brasil a uma crise política ainda mais profunda que, ninguém se engane, chegará, contudo, ao mesmo resultado, seja pelo impeachment, seja por denúncia acolhida pelo Supremo Tribunal Federal. O caminho pela frente não será fácil. Mas, se há um consolo, é que a Constituição cidadã de 1988 tem o roteiro para percorrê-lo. O Brasil deve se manter integralmente fiel a ela, sem inovações ou atalhos, e enfrentar a realidade sem ilusões vãs. E, passo a passo, chegar ao futuro de bem estar que toda a nação deseja.


58 Visualizações

Notícias em Destaque



Publicidades

Tweater

-