Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed  |   | 

Facebook Twitter Google+ email email

Anunciar Empresa
Ribas do Rio Pardo: Por nepotismo, MPE pede exoneração de sobrinha e cunhado de prefeito

Ribas do Rio Pardo: Por nepotismo, MPE pede exoneração de sobrinha e cunhado de prefeito

Duas recomendações do MPE-MS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul) pedem a exoneração, em até dez dias, de
Frio chega a 3°C em Ribas do Rio Pardo e geada atinge quase todo o município

Frio chega a 3°C em Ribas do Rio Pardo e geada atinge quase todo o município

A madrugada desta quarta-feira (19) foi gelada em todo o estado de Mato Grosso do Sul, onde a geada se
Novo salário mínimo de R$ 979,00 tem impacto de R$ 12,7 bilhões nas contas do governo em 2018

Novo salário mínimo de R$ 979,00 tem impacto de R$ 12,7 bilhões nas contas do governo em 2018

O aumento do salário mínimo de R$ 937 para R$ 979 em 2018 terá impacto de R$ 12,7 bilhões nas
Tragédia: Na contramão, caminhonete bate em moto e motociclista morre carbonizado próximo a Ribas do Rio Pardo

Tragédia: Na contramão, caminhonete bate em moto e motociclista morre carbonizado próximo a Ribas do Rio Pardo

Leandro Pinheiro, de 28 anos, morreu carbonizado após sofrer um acidente por volta das 20h15 desse sábado (15), na BR-262,
DEFESA VÊ “INVESTIGAÇÃO POLITICAMENTE MOTIVADA” (Seu julgamento envergonhou o Brasil ao ignorar evidências esmagadoras de inocência e sucumbir a um viés político)

DEFESA VÊ “INVESTIGAÇÃO POLITICAMENTE MOTIVADA” (Seu julgamento envergonhou o Brasil ao ignorar evidências esmagadoras de inocência e sucumbir a um viés político)

Em nota, os advogados Cristiano Zanin Martins e Valeska Teixeira Zanin Martins, que defendem o ex-presidente Lula, afirmam que "o
Saiba o que vai cair no concurso da Câmara Municipal de Ribas do Rio Pardo

Saiba o que vai cair no concurso da Câmara Municipal de Ribas do Rio Pardo

Você já está estudando para o concurso da Câmara Municipal de Ribas do Rio Pardo? Se você está perdido e
Homem é encontrado morto em quarto de hotel em Ribas do Rio Pardo

Homem é encontrado morto em quarto de hotel em Ribas do Rio Pardo

De acordo com o boletim de ocorrência um homem de 55 anos foi encontrado morto em um dos quartos do
Senadores de MS votam pela aprovação da reforma trabalhista

Senadores de MS votam pela aprovação da reforma trabalhista

Os três senadores de Mato Grosso do Sul votaram a favor da reforma trabalhista, nesta terça-feira (11), em pleito realizado

Mulher é condenada por assassinato do marido em crime ‘testemunhado’ por papagaio


bud
Esta postagem foi publicada em 20 de julho de 2017 Mundo, Notícias Barra Lateral, Surreal.

Glenna Duram deu cinco tiros no marido em cidade de Michigan, EUA; mais tarde, pássaro passou a repetir ‘Não atire!’.

ma mulher foi considerada culpada de assassinato por ter atirado cinco vezes contra seu marido – em um caso aparentemente presenciado por um papagaio.

Glenna Duram foi considerada culpada pelo assassinato de seu marido  (Foto: ABC/BBC)

Glenna Duram foi considerada culpada pelo assassinato de seu marido (Foto: ABC/BBC)

Glenna Duram disparou contra o marido, Martin, antes de voltar a arma contra si mesma em uma tentativa frustrada de suicídio na casa do casal em Sand Lake, no Estado de Michigan, nos Estados Unidos, em maio de 2015.

Mais tarde, o papagaio repetiu as palavras “Don’t f****** shoot!” (“Não atire, p***a!”, em tradução livre) na voz da vítima, segundo a ex-mulher de Martin.

O animal, um papagaio-cinzento chamado Bud, não foi usado no julgamento.

O júri considerou Glenna, de 49 anos, culpada de homicídio de primeiro grau após um dia de deliberações. Ela receberá a sentença no mês que vem.

Glenna sofreu um ferimento na cabeça durante a tentativa de suicídio, mas sobreviveu.

Um papagaio-cinzento como Bud, que teria testemunhado crime (Foto: BBC)Um papagaio-cinzento como Bud, que teria testemunhado crime (Foto: BBC)

Um papagaio-cinzento como Bud, que teria testemunhado crime (Foto: BBC)

A ex-mulher de Martin e atual dona de Bud, Christina Keller, disse acreditar que o animal estava repetindo uma conversa da noite do crime, que segundo ela terminou com a frase “não atire!”, com um palavrão no meio.

Os pais de Martin concordaram com a possibilidade do animal ter ouvido a discussão do casal e então ter ficado repetindo suas últimas palavras.

“Eu pessoalmente acho que ele estava lá, que ele lembra e estava falando isso”, disse o pai, Charles, à imprensa local.

“Aquele pássaro percebe absolutamente tudo e tem a boca mais suja da área”, disse a mãe, Lilian Duram.

Um promotor de Michigan inicialmente considerou usar as repetições do pássaro como evidência no julgamento, mas acabou descartando a ideia.

“Documentos policiais indicaram que o casal tinha problemas com jogos de azar e, segundo a polícia de Michigan, Glenna teria deixado várias cartas de suicídio. Ela negou ter escrito as cartas, mas uma análise de caligrafia mais tarde apontou que a polícia estava certa.”


83 Visualizações

Notícias em Destaque



Publicidades

Tweater

-