Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed  |   | 

Facebook Twitter Google+ email email

Anunciar Empresa
Ribas do Rio Pardo: Por nepotismo, MPE pede exoneração de sobrinha e cunhado de prefeito

Ribas do Rio Pardo: Por nepotismo, MPE pede exoneração de sobrinha e cunhado de prefeito

Duas recomendações do MPE-MS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul) pedem a exoneração, em até dez dias, de
Frio chega a 3°C em Ribas do Rio Pardo e geada atinge quase todo o município

Frio chega a 3°C em Ribas do Rio Pardo e geada atinge quase todo o município

A madrugada desta quarta-feira (19) foi gelada em todo o estado de Mato Grosso do Sul, onde a geada se
Novo salário mínimo de R$ 979,00 tem impacto de R$ 12,7 bilhões nas contas do governo em 2018

Novo salário mínimo de R$ 979,00 tem impacto de R$ 12,7 bilhões nas contas do governo em 2018

O aumento do salário mínimo de R$ 937 para R$ 979 em 2018 terá impacto de R$ 12,7 bilhões nas
Tragédia: Na contramão, caminhonete bate em moto e motociclista morre carbonizado próximo a Ribas do Rio Pardo

Tragédia: Na contramão, caminhonete bate em moto e motociclista morre carbonizado próximo a Ribas do Rio Pardo

Leandro Pinheiro, de 28 anos, morreu carbonizado após sofrer um acidente por volta das 20h15 desse sábado (15), na BR-262,
DEFESA VÊ “INVESTIGAÇÃO POLITICAMENTE MOTIVADA” (Seu julgamento envergonhou o Brasil ao ignorar evidências esmagadoras de inocência e sucumbir a um viés político)

DEFESA VÊ “INVESTIGAÇÃO POLITICAMENTE MOTIVADA” (Seu julgamento envergonhou o Brasil ao ignorar evidências esmagadoras de inocência e sucumbir a um viés político)

Em nota, os advogados Cristiano Zanin Martins e Valeska Teixeira Zanin Martins, que defendem o ex-presidente Lula, afirmam que "o
Saiba o que vai cair no concurso da Câmara Municipal de Ribas do Rio Pardo

Saiba o que vai cair no concurso da Câmara Municipal de Ribas do Rio Pardo

Você já está estudando para o concurso da Câmara Municipal de Ribas do Rio Pardo? Se você está perdido e
Homem é encontrado morto em quarto de hotel em Ribas do Rio Pardo

Homem é encontrado morto em quarto de hotel em Ribas do Rio Pardo

De acordo com o boletim de ocorrência um homem de 55 anos foi encontrado morto em um dos quartos do
Senadores de MS votam pela aprovação da reforma trabalhista

Senadores de MS votam pela aprovação da reforma trabalhista

Os três senadores de Mato Grosso do Sul votaram a favor da reforma trabalhista, nesta terça-feira (11), em pleito realizado

Surreal: Dizendo estar cansado de ser ‘Mega corno ‘, homem registra B.O contra a mulher


bo_de_traicao
Esta postagem foi publicada em 20 de julho de 2017 Notícias Barra Lateral, Notícias da Região, Surreal.

Alegando estar cansado dos casos extraconjugais da sua esposa, um morador de Cáceres – cidade a 220 quilômetros de Cuiabá – decidiu registrar um boletim de ocorrência contra a companheira, na última segunda-feira (17). No documento, tipificado como “outras ocorrências”, o homem de 50 anos, narrou toda o “drama” usando palavras de baixo calão e expressões típicas do estado de Mato Grosso.

Segundo o “denunciante” a sua esposa é uma “morena bonita”. No relato à polícia, ele diz que a conheceu pelas ruas de Cáceres, e que resolveu leva-la para casa. O homem narra supostos comportamentos de traição da companheira no registro policial.

“Que algumas vezes chegou em sua residência e a encontrou tendo relações sexuais com um outro homem, e ainda o mesmo foi obrigado a assistir à relação que estava sendo praticada no instante”.

No relato, a “vítima” diz ainda já ter feito de tudo para que a sua mulher parasse com as traições. Ele cita até uma bicicleta, o meio de transporte da esposa, que já teria furado o pneu e, depois, levado para o conserto.

De acordo com reportagem do Uol, a Secretaria de Segurança Pública do Mato Grosso confirmou que o boletim de ocorrência foi formalizado. Foi informado que as palavras registradas no documento seriam exatamente as mesmas usadas pelo homem durante o depoimento e que os trechos do boletim de ocorrência foram preservados a pedido do depoente e confirmados por meio de assinatura. O órgão afirmou ainda que a linguagem presente no documento não é típica do procedimento policial padrão.

No Brasil, o Código Penal de 1940, classificava o adultério como um crime, com punição de até seis meses de reclusão. Em 2005, com a promulgação de Lei 11.106, que alterou diversos artigos do Código Penal, o adultério deixou de ser considerado um crime, no entanto, continua sendo causa válida para a dissolução do vínculo conjugal.


44 Visualizações

Notícias em Destaque



Publicidades

Tweater

-