Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed  |   | 

Facebook Twitter Google+ email email

Anunciar Empresa
Ribas do Rio Pardo: Por nepotismo, MPE pede exoneração de sobrinha e cunhado de prefeito

Ribas do Rio Pardo: Por nepotismo, MPE pede exoneração de sobrinha e cunhado de prefeito

Duas recomendações do MPE-MS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul) pedem a exoneração, em até dez dias, de
Frio chega a 3°C em Ribas do Rio Pardo e geada atinge quase todo o município

Frio chega a 3°C em Ribas do Rio Pardo e geada atinge quase todo o município

A madrugada desta quarta-feira (19) foi gelada em todo o estado de Mato Grosso do Sul, onde a geada se
Novo salário mínimo de R$ 979,00 tem impacto de R$ 12,7 bilhões nas contas do governo em 2018

Novo salário mínimo de R$ 979,00 tem impacto de R$ 12,7 bilhões nas contas do governo em 2018

O aumento do salário mínimo de R$ 937 para R$ 979 em 2018 terá impacto de R$ 12,7 bilhões nas
Tragédia: Na contramão, caminhonete bate em moto e motociclista morre carbonizado próximo a Ribas do Rio Pardo

Tragédia: Na contramão, caminhonete bate em moto e motociclista morre carbonizado próximo a Ribas do Rio Pardo

Leandro Pinheiro, de 28 anos, morreu carbonizado após sofrer um acidente por volta das 20h15 desse sábado (15), na BR-262,
DEFESA VÊ “INVESTIGAÇÃO POLITICAMENTE MOTIVADA” (Seu julgamento envergonhou o Brasil ao ignorar evidências esmagadoras de inocência e sucumbir a um viés político)

DEFESA VÊ “INVESTIGAÇÃO POLITICAMENTE MOTIVADA” (Seu julgamento envergonhou o Brasil ao ignorar evidências esmagadoras de inocência e sucumbir a um viés político)

Em nota, os advogados Cristiano Zanin Martins e Valeska Teixeira Zanin Martins, que defendem o ex-presidente Lula, afirmam que "o
Saiba o que vai cair no concurso da Câmara Municipal de Ribas do Rio Pardo

Saiba o que vai cair no concurso da Câmara Municipal de Ribas do Rio Pardo

Você já está estudando para o concurso da Câmara Municipal de Ribas do Rio Pardo? Se você está perdido e
Homem é encontrado morto em quarto de hotel em Ribas do Rio Pardo

Homem é encontrado morto em quarto de hotel em Ribas do Rio Pardo

De acordo com o boletim de ocorrência um homem de 55 anos foi encontrado morto em um dos quartos do
Senadores de MS votam pela aprovação da reforma trabalhista

Senadores de MS votam pela aprovação da reforma trabalhista

Os três senadores de Mato Grosso do Sul votaram a favor da reforma trabalhista, nesta terça-feira (11), em pleito realizado

Wendel, ex-Corinthians, vende chuteiras para complementar salário de R$ 1 mil em time da Série B do Rio


wendel-atletico-barra-da-tijuca
Esta postagem foi publicada em 4 de junho de 2017 Futebol, Notícias Barra Lateral, Surreal.

A vida de um jogador é uma caixinha de surpresa. Em uma temporada você é campeão, na seguinte, uma lesão pode acabar com um sonho. Wendel é um grande exemplo. Campeão Brasileiro de 2005 com o Corinthians, o volante sofreu uma grave contusão e ficou dois anos parado. Deu a volta por cima em times menores e hoje é atleta do Atlético Barra da Tijuca, que disputa a Série B do Rio, onde recebe R$ 1 mil.

A grande história vem aí: para complementar a renda, ele vende chuteiras para outros jogadores. Tudo começou há dez meses, quando Wendel saiu do Uberlândia, onde jogou o Mineiro de 2016. Desempregado, conheceu um amigo que comercializava chuteiras e resolveu aprender o negócio.

— Eu comecei a vender e vi que dá certo. Mantenho porque venho treinar de manhã e à tarde eu fico nas redes sociais, pelo whatsapp, tentando vender para amigos com quem joguei e através deles, que vão me indicando para outros — diz o jogador. — Tenho conseguido me manter tranquilamente, pagar minhas contas em dia. Enquanto isso, tento voltar ao futebol.

Wendel entrega algumas chuteiras aos compradores
Wendel entrega algumas chuteiras aos compradores Foto: Arquivo Pessoal

Os valores dos calçados variam entre R$ 350 e R$ 1 mil. O pagamento é feito à vista, por depósito bancário, transferência ou cartão, com um aplicativo ou maquininha. Entre os famosos que já compraram de Wendel estão o goleiro Gatito, do Botafogo, o meia Carlos Alberto, do Atlético-PR, o atacante Rafael Moura, do Atlético-MG, o zagueiro Betão, do Avaí, e até para o ex-atacante Aloísio Chulapa.

— Hoje em dia, ganho mais com chuteira do que em alguns clubes onde joguei. Tem meses que vendo de 30 a 40 chuteiras em um mês. No começo dos Estaduais, cheguei a vender 60 chuteiras num mês — relata. – A rapaziada dá uma pesquisada e acha mais acessível comprar de mim do que em outros sites. Além de confiar e ajudar. Tudo acaba dando certo. Mas os que estão em muita evidência não compram, porque são patrocinados ou, se não são, eles ganham os calçados.

Zagueiro Betão, ex-Corinthians, exibe o tênis comprado com Wendel
Zagueiro Betão, ex-Corinthians, exibe o tênis comprado com Wendel Foto: Arquivo Pessoal

Salário igual no time todo

O salário recebido pelo volante é o mesmo dos 27 jogadores que estão no plantel do Barra da Tijuca, que hoje recebe o Friburguense, às 15h, em Conselheiro Galvão. Ele aceitou jogar no time mesmo sabendo que o vencimento era baixo. Mas as venda das chuteiras deixa tudo equilibrado, apesar de o jogador preferir não revelar o seu lucro.

— Eu não gostaria de falar. Não chega perto do que eu ganhava no Corinthians. Mas é um bom negócio — conta.

Wendel ainda não tem condições de jogo. Chegou ao clube com oito quilos acima do peso, já perdeu quatro e meio em dois meses e está próximo dos 80kg, o seu ideal.

— Cheguei com 88kg, mas já perdi peso com a ajuda do nosso preparado físico. Tudo para conseguir jogar em alto nível e ajudar o time com o meu futebol, e não por causa do nome — diz.

Wendel com o jovem grupo do Atlético Barra da Tijuca
Wendel com o jovem grupo do Atlético Barra da Tijuca Foto: Fábio Guimarães / Extra

Lesão quase acaba com a carreira

Oriundo das categorias de base do Corinthians, Wendel ganhou espaço no time principal em 2005, onde chegou a ser titular com o técnico Antônio Lopes, na época. O clube foi campeão Brasileiro naquele ano. Mas o volante foi emprestado ao Fortaleza em 2006 e quando retornou, no início de 2007, o então treinador Emerson Leão não queria atletas emprestados de volta. Nesse momento que sua vida deu uma guinada, mas a queda foi rápida.

– Sempre achei que seria do Corinthians para mais, para voos mais altos na Europa. Fiquei encostado e tinha contrato até o fim de 2008 com o time. Um empresário conseguiu um clube na Áustria para mim, com contrato de três anos. Eu pedi rescisão do Corinthians e assinei, arrisquei porque achava que tinha potencial – relembra o jogador, que sofreu uma lesão no time austríaco.

– Fiz uma ótima temporada, houve interesse de times alemães, mas lesionei o joelho direito e os médicos disseram que eu voltaria em pouco tempo. Porém, demorei dois anos e passei por três cirurgias, por problemas com a cartilagem. As cirurgias não ajudaram, foi com o tempo parou a dor.

Wendel conversa com o técnico Alexandre Borges do Atlético Barra da Tijuca
Wendel conversa com o técnico Alexandre Borges do Atlético Barra da Tijuca Foto: Fábio Guimarães / Extra

As dificuldades surgiram porque nenhum clube queria contratá-lo. Foi então que ele recomeçou em clubes menores pelo Brasil. Agora, aos 33 anos, ele ainda não pensa em se aposentar e sonha conseguir voltar a um time de elite.

– Muitos clubes visam ter jogadores novos para fazer boa campanha e dinheiro com a venda. Me encontro nessa situação hoje. Venci a lesão e a desconfiança de todos. Agora pesa a idade e surgem dúvidas. Mas não acho demérito jogar em clube de menor expressão mesmo já tendo estado lá em cima. Se você faz o que você gosta, é melhor coisa. Tento correr atrás e aparecer para o cenário do Rio – afirma.


106 Visualizações

Notícias em Destaque



Publicidades

Tweater

-